Make your own free website on Tripod.com

       

 Liga do Trauma
 Dr. Mario Mantovani

 

O que é TRAUMA ?

 

Disciplina de Cirurgia do Trauma
do Departamento de Cirurgia da FCM - UNICAMP

Prof. Titular e Chefe: MARIO MANTOVANI

 

Se procurarmos o vocábulo "Trauma" em algum dicionário, encontraremos que se trata de um substantivo masculino cujos sinônimos são "traumatismo" ou "pancada". Contudo "traumatismo", no mesmo dicionário, significa: Conjunto das perturbações causadas por um ferimento.

 

 

Com certeza, sem muito esforço para isso, observamos que a palavra trauma tem um significado muito mais amplo em nossas vidas: ela pode significar desde uma simples "lesão" ou "machucadura" causados por pequenos "acidentes" domésticos chegando até a "acidentes" graves ocorridos no trânsito, na rua, no trabalho... passando por causas mais complexas e cruéis tais como "acidentes" decorrentes da violência urbana, inter-pessoal, entre cônjuges, pais e filhos, indivíduos com credos distintos ou mesmo etnias diferentes, etc.

Trauma é um problema de Saúde Pública
É a segunda causa de morte em geral no Brasil
É a primeira causa de morte de indivíduos entre 11 a 40 anos de vida
Além de matar, deixa grande número de pessoas incapacitadas, na maioria jovens
No Brasil, em 1999 ocorreram
em 1 ano: 120.000 mortes e 360.000 seqüeladas,
em 1 mês: 10.000/3.000
em 1 dia: 350 / 1.000
em 1 hora: 14 / 42

Reduz a expectativa de vida em anos mais que o câncer e as doenças cardiovasculares
Trauma reduz 35 anos, o câncer 15 anos e as doenças cardiovasculares, de 12 a 15 anos.
Implica custos diretos e indiretos de BILHÕES de reais por ano
Vem crescendo o número de óbitos por trauma no Brasil a cada ano.

Muitos desses "acidentes", causadores de seqüelas graves na sociedade, podem ser vistos como "doenças" evitáveis, sendo o exercício da cidadania o remédio mais eficaz que cada um de nós possuímos para combater essa epidemia de traumas que assola tantas pessoas a nossa volta, todos os dias, em todos os lugares em que estivermos, e muitas vezes nos atingindo de forma direta ou indireta.

O trauma deve ser encarado como "DOENÇA" e não como ""ACIDENTE"" ou "fatalidade", sendo comumente ignorada.
50% ou mais das mortes e das lesões por trauma são evitáveis.
Por isso, PREVENÇÃO é a palavra chave A PREVENÇÃO é possível na maioria dos casos através da educação, de medidas legais e de medidas de proteção passiva (cinto de segurança, air bag, etc.) e, principalmente NÃO INGERIR ALCOOL.

A gravidade e a freqüência com que os traumas acontecem, principalmente devido a "acidentes" e violência inter-pessoal, já atingiu tal magnitude que hoje em dia há uma preocupação mundial em se fazer uma conscientização em massa, revelando às pessoas de todas as classes sociais e idades o quão grave está se tornando tudo isso. A boa educação, o exercício da cidadania e os conhecimento das causas básicas que geram tantos traumas, vem ajudando a minimizar essa epidemia, e com tudo isso ainda contamos agora com uma maior mobilização de alguns setores sociais preocupados em passar o conhecimento das soluções e atitudes básicas que um indivíduo tem que realizar frente a um traumatizado. Enfim, a experiência e a pesquisa nos levam a crer que realmente podemos evitar a maioria dos traumas com um mínimo de consciência e preparo da sociedade.

Morrem, por ano, no Brasil e por trauma cerca de duas vezes o número de norte-americanos mortos nos 8 anos da Guerra do Vietnam
Os "acidentes"não ocorrem por acaso ou são produtos da fatalidade.
Existe sempre um fator modificando assim a ocorrência de eventos traumáticos.

Ministério da Saúde, juntamente com o Conselho Federal de Medicina, a Sociedade Brasileira de Atenção Integrada ao Traumatizado, o Comitê de Trauma do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, a Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia e o Corpo de Bombeiros, neste ano de 1999, realizarão de 04 a 11 de novembro a "Semana do Trauma", cujo tema básico é :
" EVITE UM TRAUMA"
focalizando os prejuízos do álcool, a violência no trânsito, armas, "acidente" de trabalho e domésticos.
VAMOS PROTEGER A VIDA.
VAMOS PARTICIPAR ATIVAMENTE.

 

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER
Atualmente, a violência doméstica transformou-se em causa altamente significativa de traumas em mulheres durante a coabitação, o casamento e a gestação, resultando em invalidez ou morte da mãe e do feto .

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA O MENOR
· em 5 anos, hove 42.000 casos e 70 mortos
· em 98% dos casos de abuso sexual, o responsável é o pai ou o padastro
· em 80% dos casos de espancamento a mãe é a responsável
· Quimaduras, tentativa de afogamento, tortura perfazem 38% dos maus tratos à criança

 

 

TRAUMA NO TRÂNSITO
· A violência Acidental ou Intencional mata a cada ano 3.500.000 pessoas no mundo. No Brasil as causas externas são responsáveis por 110.000 óbitos e no trânsito 30.000.
· No Brasil, 1 milhão de pessoas são internadas por ano com algum tipo de lesão vinculada à violência/negligência com despesas de 300 milhões de dólares.
· O grupo de risco de trauma no trânsito é representado por um jovem do sexo masculino que está entre 20 e 29 anos de idade e apresenta uma ou mais das seguintes características: dirige a uma velocidade maior que a tolerada, não usa cinto de segurança e bebeu de 2 a 3 cervejas.
· Você sabia que é considerado estado de alcoolismo o cidadão que apresentar no mínimo 0,6 gramas de concentração alcoólica por litro de sangue? E, 2 cálices de vinho ou 2 copos de cerveja ou uma dose de destilado já são suficientes para alcoolizá-lo?
· Metade dos "acidentes" fatais das estradas, as pessoas estariam vivas se estivessem usando cinto de segurança.
· 3 em cada 4 "acidentes" ocorrem ao redor de 30 Km da residência do motorista e a velocidade abaixo de 60 KM/H, por isso devemos usar o cinto de segurança SEMPRE.
· Os "acidentes" não ocorrem por acaso ou são produtos da fatalidade. Existe sempre um fator de risco sobre o qual é possível atuar, modificando assim a ocorrência de eventos traumáticos.
· Durante uma colisão, uma criança sem restrição , fica fora de controle. 25% das crianças atendidas em pronto socorros, foram traumatizadas, não por batida de carro, mas por freadas, curvas e guinadas.
· Dirigir um automóvel, ao mesmo tempo, falar ao telefone celular é tão perigoso quanto dirigir bêbado.
· O uso de capacete diminui os traumatismos de crânio em 45%, para quem anda de bicicleta.
· Hoje, a violência supera, de muito, a estatística de óbitos no Brasil, por "causas externas", pois de 1981 a 1996 apresentou um aumento de 11,4%, afora "acidentes" por veículos automotores que aumentaram 3,2% no mesmo período.
· Lembre-se, o trauma tem como vítima, uma pessoa jovem, previamente sadia que sofreu com agressão súbita, mensurável, sem anestesia, sendo multicompartimental.

EVITE SER UMA VÍTIMA, PROTEJA-SE!
NÃO BEBA, NÃO MATE, NÃO MORRA.

 

ALGUNS DADOS SOBRE O TRÂNSITO NO NOSSO PAÍS
Brasil:
160 milhões de brasileiros
1.400.000 Km de estrada, sendo apenas 18% asfaltadas
30 milhões de veículos
34 milhões de CNH (Carteira Nacional de Habilitação)

 

TRAUMA POR VEÍCULOS AUTO-MOTORES
No Brasil:
· 45 mil mortes/ano (incluindo óbitos após 24 hs do "acidente", oficialmente são 26.000 mortes. Em 98 calcula-se 20.000).
· 300 mil feridos / ano · mais de 1 milhão de "acidentes"/ano
· prejuízos materiais em mais de 2 bilhões de dólares
· prejuízos sociais em mais de 2 bilhões de dólares
· a cada 22 minutos, morre uma pessoa em "acidente" de trânsito
· a cada 07 minutos acontece um atropelamento
· a cada 57 segundos acontece um "acidente" de trânsito
· 75% dos "acidentes" são causados pelo homem, 12% por problemas no veículo, 6% por deficiência nas vias e 7% por causas diversas
· 75% dos "acidentes" ocorrem com tempo bom, 68% nas retas e 61% durante o dia
· Maior parte das vítimas de "acidente" de trânsito tem menos de 35 anos
· "acidente" de trânsito é o segundo maior problema de saúde pública do País, só perdendo para a desnutrição
· Nos "acidentes" com vítima, os automóveis tem participação de 53%
· 41% dos mortos em "acidentes" estão na faixa etária de 15 a 34 anos
· 250 mil "acidentes" com vítimas
· 60% dos feridos no trânsito ficam com lesões permanentes
· Em 40 mil "acidentes" com veículos de duas rodas, aconteceram 24 mil mortes
· 44% dos mortos em "acidentes" de trânsito, são em atropelamentos
· 79% dos mortos são do sexo masculino · 44% dos "acidentes" são do tipo colisão
· Para cada 10.000 veículos, morrem 11 pessoas no Brasil e 1,5 no Japão
· São Paulo é a capital onde há o maior n º de motos (1,883)
· Metade dos "acidentes" ocorrem a menos de 10 km de distância da residência do motorista

 

GERAIS:
Trânsito - 3ª "Causa Mortis" do Brasil
· 55% de ocupação dos leitos hospitalares
· Mais de 4 milhões de crianças estão fora das escolas
· 45 em cada mil consegue concluir o 1º grau em 8 anos
· 43% dos jovens até 17 anos tem apenas 2 anos de instrução escolar

 

NO ESTADO DE SÃO PAULO
São emplacados 150 mil veículos novos por mês.
O estado possui:
10.282.614 veículos registrados
4.499.956 veículos na capital
45% da frota nacional de veículos.

 

 

                       

 

                      

O trauma não deve ser considerado apenas como um problema médico, social e econômico; nem somente pelos custos dispendidos no atendimento das vítimas por parte das equipes de saúde, nem também pelos danos às propriedades, ou perda de salários, ou pelas incapacidades transitórias ou permanentes, pelas dificuldades para reinserção social das vítimas e o retorno ao trabalho. Este impacto social e econômico nunca superará a transcendência que é a perda ou a incapacidade que um ser querido produz em âmbito familiar e comunitário.

Poucas são as famílias brasileiras que têm a sorte de não prantear um querido descendente tolhido da convivência familiar pela violência que grassa em nosso meio.

Esta é a contribuição inicial que a Disciplina de Cirurgia do Trauma do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Estadual de Campinas, São Paulo, Brasil, oferece a todos os interessados sobre o assunto que é apaixonante e inesgotável. Por essa razão, vem desenvolvendo um programa científico suficientemente amplo que contempla não só a assistência multidisciplinar da vítima de trauma, como também enfatiza aspectos da prevenção e da reabilitação precoce, da investigação e da capacitação. Este imenso trabalho obedece o conceito de equipe, conjunto com pessoas que se unem para um fim determinado, de forma substancial e indispensável para lograr o máximo de eficácia e eficiência.

 Não basta atuação apenas da equipe médica ou os a ela ligados diretamente. É necessário expandir a ação aos poderes constituídos,, à sociedade civil como um todo, para se engajarem, na sua plenitude, contra a violência no nosso país, enfrentando de frente a questão, com dados reais, utilizando para tanto, todos os meios disponíveis.

                                                               

"EVITE UM TRAUMA"

 

Voltar a Artigos